sexta-feira, 9 de agosto de 2013

A Máquina Voadora do Rei Salomão



Na conferência "Haderei Teman" de "Ufologia Qabalista" realizada no ano passado, descobrimos que o Rei Sh'lomô (Salomão) possuía uma "Máquina Voadora" cuja aparência era semelhante a uma águia. Este mistério está codificado nas páginas do Zohar e no Kebra Nagast - O Livro da Glória dos Reis. Com esta máquina voadora o Rei Salomão visitou todos os continentes, aprendeu com muitos sábios e mapeou todo o mundo. Assim, ele também visitou outros planetas e edificou construções neles. Existem evidências destas edificações salomônicas codificadas em Devarei ha'Iamim Beit (IIº Crônicas).

Hoje encontrei estas evidências de que, quando o Rei Salomão edificou o Beit ha'Miqdash (Templo) neste mundo, edificou outro nas areias de um outro mundo acima. Qual serie este mundo? Logo você descobrirá e poderá verificar as evidências. Mantenha o coração e a mente aberta e livre de dogmas religiosos.

Beit é a segunda letra do alfabeto sagrado, e seu valor numérico é 2 e letra é usada para a palavra casa e por isto Beit ha'Miqdash - Casa Sagrada ou simplesmente O Templo. A Torah começa com a letra beit e o Zohar nos conta a razão secreta disto. Tudo o que existe no nosso universo é duplo, binário. A maioria das estrelas neste universo da letra beit é binário.




Desta forma existiram dois Templos aqui no nosso mundo, e quando o primeiro Templo foi edificado aqui no Har Moriah outro foi edificado no "Har Moriah" acima.

Um Templo Nas Areias De Marte?


O Zohar e o Mishkney Elion, obra do Rabi Moshê Chaiim Luzato, nos diz que, quando D´us ordenou Moisés levantar o Tabernáculo no deserto, ordenou aos Malachim (anjos) que edificassem um Tabernáculo acima também, e ambos estavam alinhados com o Templo edificado acima de todos os universos.


"Tudo o que há embaixo tem uma correspondência acima. Tudo o que existe acima, existe abaixo (Zohar)".

Enquanto eu estudava e meditava sobre este mistério e também nos segredos de outro artigo que houvera escrito (Adão & Marte - As Origens Secretas da Humanidade), eu tive um sonho lúcido com a palavra hebraica "Ma'adim" que é Marte junto com o temo "Har Ha'Moriah" em algum texto do Tana´k (Bíblia Hebraica). Não demorou muito para eu encontrá-lo e descobrir os segredos que me levaram a escrever este artigo.




Vocês mesmos podem verificar na imagem acima que foi encontrada escondida no Livro de IIº Crônicas capítulo 3, os profundos mistérios que D´us codificou no texto: No centro na cor vermelha e na posição vertical está "Ma'adim (Marte)" e ao lado direito na posição horizontal está "Cochav (Planeta)". Abaixo de planeta na cor azul e tamb´me na posição horizontal está "Salomão começou a edificar a Casa do Sagrado em Jerusalém, no Monte Moriah... (IIº Crônicas 3;1)". A frase ao lado esquerdo de "Ma'adim" é "Har Ha'Moriah (Monte Moriah). Como eu havia revelado no artigo "Marte & Adão", o Monte Moriah aqui na Terra tem o seu correspondente acima, no planeta vermelho que fica na região de Cydonia onde se encontra "A Face". O que conhecemos como "A Face" é na verdade o "Monte Moriah" acima.


Mais há muito mais no código. Abaixo á direita de "Ma'adim" que é a palavra chave central, encontrei o termo hebraico "Aviráh" cujo significado é "Atmosfera" e cruzando este termo está "E os sacerdotes trouxeram a Arca da Aliança do Eterno ao seu lugar... (IIº Crônicas 5:7)". Nos sabemos que para cada uma das dez esferas da Árvore das Vidas (Sefirot) exitem outras dez esferas. Assim, guevurá que é Marte tem também suas dez esferas que são: Keter de guevurá, chochma de guevurá, biná de guevurá, chessed de guevurá, guevurá de guevurá, tiféret de guevurá, netzach de guevurá, hod de guevurá, yesod de guevurá e malchut de guevurá. O Santo dos Santos que é o lugar da Arca em cada um dos mundos fica sempre em Keter.


Este código "Aviráh" parece deixar claro que já houve "atmosfera" em Marte ou ela fora criada de forma milagrosa pelo Rei Salomão....


A Máquina Voadora do Rei Salomão

Do Zohar: "E Salomão, o sábio rei de Israel, voltava sua face a cada manhã para os quatro pontos cardeais. Quando, por fim, levantou seus olhos para o Norte, viu avançarem em sua direção dois pilares: um de fogo e outro de nuvem. Acima dos pilares, viu uma águia gigantesca com asas estendidas, sua asa esquerda se apoiando sobre a coluna de nuvem e sua asa direita, na coluna de fogo. A águia desceu diante do Rei Salomão e inclinou-se à sua frente, e colocou a seus pés as duas folhas que carregava no bico. Salomão pegou as folhas, sentiu seu perfume e disse: "A primeira folho me foi enviada por "Aquele que cai" e a segunda folha, por "Aquele cujos olhos estão aberto". Ele soube que os dois demônios lhe haviam enviado notícias. Selou seu trono com seu anel no qual estava gravado o Nome de D´us, montou a águia que se elevou a uma grande altura e saiu voando. A extensão das asas obscureceu a luz do sol, de tal modo que a escuridão reinou por toda a rota de seu vôo. E os sábios, vendo a escuridão, disseram: "Vede, o Rei Salomão está passando". Depois de um vôo de 400 léguas, a águia chegou às Montanhas das Sombras, chamadas na Bíblia de Taramond, ou Montanhas do Deserto. Lá, Salomão apeou, mostrou seu anel e foi-lhe permitido aproximar-se. Quando soube tudo o que queria saber, montou de novo a águia e regressou voando a seu país. Então, quando se sentou em seu trono, pronunciou palavras que mostravam uma tal profundidade de sabedoria que todos os homens se maravilhavam com ele".


Considerações

A primeira pergunta que surge aqui é: para que uma águia precisaria apoiar suas asas sobre dois pilares, sendo um de nuvem e outro de fogo? Sendo que a águia tem autonomia própria de vôo? A segunda pergunta é: Como o Rei Salomão poderia sobreviver a uma grande altura num ar extremamente rarefeito? Evidentemente tratava-se de uma máquina voadora cuja aparência se comparava a uma águia. Torna-se evidente que os pilares tratavam-se de algum tipo de propulsão e que levantava aos céus esta gigantesca máquina voadora dentro da qual o Rei Salomão podia respirar livremente.

Outra evidência de que o Rei Salomão possuía um aparato voador está num trecho enigmático do Zohar que fala sobre Hiram, o edificador do rei: "Aprendemos também que Rabi Isaac disse, em nome de Rabi Judá, que Salomão enviou uma carruagem (aparato voador/ovni/ufo) que tomou Hiram Abiff e levou-o até os sete círculos do Guehena (mundos intraterrenos) e, em seguida, trouxe de volta" - Excerto do Zôhar.

Temples of Solomon

At the conference "Haderei Teman" of "Qabalist Ufology " we find that the King Sh'lomô (Solomon) had a "Flying Machine" whose appearance was like an eagle. This mystery is encoded in the pages of the Zohar and the Kebra Nagast - The Book of the Glory of Kings. With flying machine is visited King Solomon and mapped all the continents around the world. Thus, he also visited other planets and buildings built on them.

Today I found evidence that, when King Solomon built the Beit ha'Miqdash this world, and built another in the sands of another world above.

Beit is the second letter of the alphabet sacred, and its numerical value is 2. The Torah begins with the letter beit and the Zohar tells us the secret reason of this. Everything that exists in our universe is double binary. Most stars in the universe of the letter beit is binary.




Thus there were two temples here in our world, and when the first Temple was built here in the Har Moriah another was built in the "Har Moriah" above.


Thus there were two temples here in our world, and when the first Temple was built here in the Har Moriah another was built in the "Har Moriah" above.


A Temple In The Sands Of Mars?

The Zohar and Mishkney Elion, the work of Rabbi Moshe Chaiim Luzato, tells us that when Gd commanded Moses to raise the Tabernacle in the desert, ordered Malachim (angels) that a Tabernacle edificassem up as well, and both were aligned with the Temple built above all universes.


"Everything down there is a match up. Everything that exists above exists below (Zohar)."

As I studied and meditated on this mystery and also the secrets of another article that there had been written (Adam & Mars - The Secret Origins of Mankind), I had a lucid dream with the Hebrew word "Ma'adim" that Mars is in conjunction with the term "Har Ha'Moriah" some text Tana'k (Hebrew Bible). Do not take me long to find him and discover the secrets that led me to write this article.




You can check them in the image above that was found hidden in the Book of Chronicles Chapter 3, the deep mysteries that God encoded in the text: In the center red and upright is "Ma'adim (Mars)" and right side in the horizontal position is "Cochav (Planet)." Under the planet in blue and also in the horizontal position is "Solomon began to build the Sacred House in Jerusalem on Mount Moriah ... (II Chronicles3, 1)." The left side of "Ma'adim" is the phrase "Ha'Moriah Har (Mount Moriah). As I had revealed in the article "Mars & Adam", Mount Moriah on Earth has its counterpart above, the red planet is in the Cydonia region where "the Face." what we know as "the Face" is actually the "Mount Moriah" above.


More is more in the code. Below on the right of "Ma'adim" which is the central key word, I found the Hebrew word "Aviráh" meaning "Atmosphere" and crossing this term is "And the priests brought the Ark of the Covenant of God to his place .. . (Article II Chronicles 5:7)". We know that for each of the ten spheres of the Tree of Life (Sephiroth) has ten other spheres. Thus, gevurah it is Mars also has its ten spheres which are: Keter of gevurah, chochma of gevurah, binah of gevurah, chesed of gevurah, gevurah  of gevurah, Tiferet of gevurah, Netzach of gevurah, hod of gevurah, yesod of gevurah and malchut of gevurah. The Holy of Holies is the place of the Ark in each one of the world is always in Keter. 


This code "Aviráh" seems clear that there have been "atmosphere" on Mars or she was miraculously created by King Solomon ....




The Flying Machine of King Solomon

The Zohar: "Solomon, the wise king of Israel, turned his face every morning to the four cardinal points. When finally lifted his eyes to the north, saw advancing toward her two pillars: a fire and other cloud. Above the pillars, saw a giant eagle with wings outstretched, his left wing leaning on the pillar of cloud and its right wing, the pillar of fire. The eagle came before King Solomon and bowed before him, and placed at his feet the two sheets carrying in its beak. Solomon took the leaves, felt her perfume and said: "The first frill was sent to me by" One who falls "and the second sheet, as" One whose eyes are open. " He knew that the two demons had sent news. He saddled his throne with his ring on which was engraved the name of God, mounted the eagle which amounted to a great height and flew away. The wingspan obscured sunlight, so that the darkness ruled throughout its flight route. And the wise men, seeing the darkness, said: "Behold, King Solomon is going." After a flight of 400 miles, the eagle came to the Mountains of Shadow, Taramond called in the Bible, or the Desert Mountains. There he dismounted Solomon showed his ring and he was allowed to approach. When I learned everything I wanted to know, set up again and returned the eagle fly to your country. So when he sat on his throne, spoke words that showed such depth of wisdom that all men marveled at it. "


Considerations

The first question that arises here is: that an eagle would need to support their wings on two pillars, one cloud and another fire? Since the eagle has its own autonomy flight? The second question is: How King Solomon could survive to a great height in extremely thin air? Of course it was a flying machine whose appearance was like a eagle. It is evident that the pillars are treated in some type of propulsion and raised to the skies this gigantic flying machine into which King Solomon could breathe freely.

domingo, 12 de maio de 2013

Consciência Etérea




Consciência do Olam ha'Atzilut, o mundo da Sabedoria (The Wisdom World's) onde tudo é etéreo, sem forma e tudo pode ser moldado. Em Crônicas de Qédem este universo é chamado "Sólomon".

Eu não preciso de uma EBE (Entidade Biológica Extraterrestre) para me revelar e ensinar os mistérios da Sabedoria, porque minha Neshamá (Alma Divina) é uma faísca, uma centelhas de uma das 144.000 gigantescas estrelas que D'us criou e espalhou por 72 constelações. Estas estrelas são azuis. São os sóis mais quentes do universo e este é o segredo das “seis tábuas” nas quais a Torah foi gravada.



O Segredo da Alma Divina
Neshamá

Na Instrução Divina (Torah) nossas almas divinas são chamadas de "Pavimento" de Safira cuja cor se assemelha ao azul dos céus. Nossas almas são lascas deste Pavimento de Safira (Livinat ha'Saphir) e as Letras da Torah foram gravadas, segundo o relato escrito nela, em Tabletes feitos desta pedra celestial, portanto, uma vez que nossas almas são lascas deste pavimento, todos os mistérios da Instrução Divina (Hê) estão gravados em nossas Neshamot (almas divinas).




Este é o mistério do porque o Midrash diz que, apesar das Tábuas nas quais a Torah fora escrita serem de Safira, elas podiam ser enroladas como pergaminhos, conforme já havia revelado. Estas tábuas estão em nós, são nossas próprias almas divinas e, portanto, toda instrução dos mistérios da Sabedoria se encontra dentro de nós mesmos.

A busca por EBEs que possam nos revelar que somos na verdade é uma ilusão, pois o verdadeiro caminho, a verdadeira viagem de busca é a "jornada interior" até o "despertar" e então todos os mistérios serão lembrados por nossas almas e saberemos quem realmente somos. Este é o segredo e a razão do porque você o está lendo, pois ele emergiu do meu interior como uma vivida lembrança.

O despertar fora marcado para ter inicio no "sexto céu" chamado "Etzem ha'Shamayin (Essência dos Céus) para atingir seu grau mais elevado onde toda a humanidade estará desperta no "sétimo céu" chamado "Livinat ha'Saphir (Pavimento de Safira), conforme escrito na Torah em Shemot (Êxodo) capítulo 24 verso 10 "E viram o Deus de Israel, e debaixo de seus pés havia como que um pavimento de pedra de safira (livinat ha'saphir), que se parecia com o céu (etzem ha'shamayim) na sua pureza”.


Quando os hebreus israelitas tiveram suas “lascas de safira” gravadas com a Instrução Divina, eles foram trazidos ao “sétimo milênio” ao futuro, e viram o “D’us de Israel” ou seja, contemplaram a revelação de todos os mistérios da criação como seres despertos, uma só nação de iluminados, todos messias.

No mesmo dia em que esta lembrança emergiu no meu interior, resolvi, como de costume tradicional, procurar por um código que comprova-se este mistérios elevado e maravilhoso, e o encontrei conforme a lembrança da minha neshamá me houvera instruído.

CLIQUE PARA AMPLIAR

No código acima, a “key word (Palavra Chave)” é “mi neshamá (O que é a Neshamá?) pergunta para a qual a resposta surpreendeu-me, mesmo tendo recebido a revelação e sabendo que a resposta a comprovaria. Cruzando “mi neshamá” está o 10º passuq (verso) do Êxodo pereq (capítulo) 24 que citamos anteriormente: "E viram o Deus de Israel, e debaixo de seus pés havia como que um pavimento de pedra de safira (livinat ha'saphir), que se parecia com o céu (etzem ha'shamayim) na sua pureza”.



Logo acima de “mi neshamá” está o termo “modêh” que é uma alusão à prece “Modêh ani” recitada por nós hebreus todas as manhãs em seguida ao “Shiviti” que é a contemplação do Nome Santo. O “Modêh ani” é a prece de agradecimento e a carruagem através da qual nossas “neshamot” são devolvidas ao nosso corpo num processo diário e contínuo de reencarnação.

Resumindo: Nós somos a Torah, a Instrução Divina, e as palavras do Eterno estão gravadas em nossas almas.


PISANDO NO FUTURO

De acordo com este segredo revelado, as "neshamot" dos hebreus, foram trazidas ao futuro e toda a tecnologia que seria canalizada do Gan Éden (Jardim do Éden) neste tempo futuro foi conhecida por elas. Certamente Steve Jobs e Bill Gates estavam entre estas almas. Steve Jobs criou o Tablet para a Apple e este equipamento já estava aludido neste vislumbre futuro:

CLIQUE PARA AMPLIAR

Cruzando os dois pessuqim (versos) do Êxodo 24:10 e 24:12 está o termo "Machshev (Computador)". No Êxodo 32 onde novamente somos instruídos sobre as Tabletes dadas a Moshê (Moisés), secretamente o termo "Machshev (Computador)" está codificado e agora, um novo entendimento nos é revelado:

CLIQUE PARA AMPLIAR

De acordo com todos os escritos sagrados nos Midrashim, Zohar e no Talmude, nosso universo e tudo o que nele existe, incluindo o DNA primordial de Adão (da humanidade) foram feitos por seres de outros mundos encarregados pelo Sagrado, bendito seja Ele, e que nós chamamos de Malachim (Anjos). Este segredo revelado diminui a nossa "emuná (Fé)" no Criador de todas as coisas? De forma alguma, apenas a aumenta. Sim, fomos feitos por criaturas extraterrestres, por EBEs (Entidades Biológicas Exoplanetárias) de outros mundos e que revelaram as almas dos hebreus em Har Sinai toda a tecnologia que seria descoberta durante o 6º e o 7º milênios.

O sétimo passuq (verso) do Nome de D'us de 42 Letras diz: "Shav'atênu Qabel Ushemá Tza'aqatênu Yodêa Taalumot (Aceita as nossas preces e ouve os nossos clamores, ó Tú que conheces todos os mistérios encobertos)". Este sétimo verso do Ana Be'koach está atado ao sétimo milênio e nos diz que neste tempo todos os mistérios seriam descobertos, os segredos que foram gravados, escritos, esculpidos em nossas neshamot (almas divinas) em Har Sinai cerca de 4.000 anos atrás. Hallelluia!!!!! Umen!

Para evidenciar, fornecer uma prova de que a alma de Steve Jobs estava entre as almas dos Hebreus que foram "transportados" ao futuro, abaixo o código que o Sagrado, bendito seja Ele, me revelou:

CLIQUE PARA AMPLIAR




Para aprender mais destes mistérios profundos, adquiria agora mesmo ao Livro "Shem ha'Meforah - Os 72 Nomes de D'us".



Compre aqui o livro 'Os 72 Nomes de Deus'




domingo, 14 de abril de 2013

A Estrela Gêmea do Sol



A Estrela Gêmea do Sol: Tempos atrás, enquanto estudava o Zohar Sagrado, fui levado a questionar o a natureza dupla do nosso universo, uma vez que ele fora criado pela "letra beit" e portanto, tudo no nosso universo seria duplo. Perguntei-me então, sendo assim, uma vez que a maioria das estrelas da nossa galáxia são "binárias" onde estaria então a companheira gêmea do nosso sol?

Sim, nosso sol possui uma companheira gêmea aludida no verso do Gênesis "E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas (Gênesis 1:16).

וַיַּעַשׂ אֱלֹהִים, אֶת-שְׁנֵי הַמְּאֹרֹת הַגְּדֹלִים:  אֶת-הַמָּאוֹר הַגָּדֹל, לְמֶמְשֶׁלֶת הַיּוֹם, וְאֶת-הַמָּאוֹר הַקָּטֹן לְמֶמְשֶׁלֶת הַלַּיְלָה, וְאֵת הַכּוֹכָבִים.

A palavra noite (ha'laila) no verso não alude ao tempo no qual o ocaso solar acontecia, pois, somos ensinados pelo Zohar, midrash e Talmud que, antes do pecado de Adão, não havia noite, e o sol nunca se punha... Portanto, sabemos aqui que, estes dois grandes luzeiros não se referem ao sol e a lua no estado no qual ela se encontra atualmente, mas a dois sóis...

Aprendemos que, quando Adão pecou ele viu o sol se por pela primeira vez, e ficou aterrorizado com a noite.

Precisava então, encontrar uma evidência deste segundo sol nas Qituvei Ha'Qodesh (Escrituras Sagradas) e a encontrei.

Em Shofetim (Juízes) capítulo 5 verso 20 lemos: "Desde os céus pelejaram; até as estrelas desde os lugares dos seus cursos pelejaram contra Sísera (Juízes 5:20)". Expliquei anteriormente em outro artigo, que os planetas do nosso sistema solar, estavam batalhando por seus lugares (orbitas) e sobrevivência. Então, no verso 23 do mesmo capítulo lemos:

"Amaldiçoai a Meroz, diz o anjo do SENHOR, acremente amaldiçoai aos seus moradores; porquanto não vieram ao socorro do SENHOR (יְהוָה), ao socorro do SENHOR (יְהוָה) com os valorosos (Juízes 5:23)".

O Zohar revela que Meroz é uma estrela e seus moradores são os planetas que a orbitam, e também o talmud no Tratado Moed Katan diz o mesmo, que Meroz é uma estrela.

Nêmesis

Recentemente, astrônomos não ortodoxos, surpreenderam o mundo com a teoria de Nêmesis.

Nêmesis, dentro da astronomia teórica, seria uma provável estrela companheira do Sol, fazendo do Sistema Solar um sistema binário de estrelas. Ao passo de que ainda não foi observada diretamente, Nêmesis seria uma estrela escura e pequena, talvez uma anã vermelha, com uma órbita dezenas, centenas ou até milhares de vezes mais distante que a de Plutão.

Uma outra hipótese levantada a respeito de Nêmesis é que a sua órbita ao redor do Sol dure algo em torno de 26 milhões de anos e que em determinado momento a estrela atravessa a Nuvem de Oort e arremessa bilhões de asteróides e cometas para todos os lados, muitos dos quais acabam vindo para o Sistema Solar e atingindo a Terra causando assim grandes extinções da vida no planeta, como por exemplo a extinção KT que ocorreu há 65 milhões de anos.


Os Dois Sóis

O Talmud e o Zohar também revelam que, a frase "dois grandes luzeiros" alude que eles eram do mesmo tamanho, mas então, um deles foi diminuído devido ao pecado, e por isto estaria dito, no mesmo verso "o menor para governar a noite" o que levou muitos a confundir este astro celeste com a lua em seu atual estado e que ela teria sido criada assim, teoria esta que o Zohar não apoia, pois em outro lugar ele nos revela que, a Lua foi diminuída em seu tamanho, ela encolheu devido ao pecado de Adão. No livro do profeta Isaías, lemos:

"E a luz da lua será como a luz do sol, e a luz do sol sete vezes maior, como a luz de sete dias, no dia em que o SENHOR ligar a quebradura do seu povo, e curar a chaga da sua ferida (Isaías 30:26)".


O verso está aludindo que a Lua será restaurada ao seu estado estelar original e por isto "a luz do sol será sete vezes maior".


Recentemente a NASA afirmou aquilo que o Zohar já havia revelado, que a lua está encolhendo:


"Fotografias tiradas pela sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), enviada pela Agência Espacial Americana – NASA, ao satélite, para investigar a órbita da Lua, revelaram que a circunferência da superfície lunar contraiu pelo menos cem metros, nos últimos mil milhões de anos. A descoberta foi relatada pelo cientista Thomas Watters, do Centro de Estudos Planetários, num artigo publicado pela revista especializada «Science».

Ao amaldiçoar Meroz, o segundo sol, o anjo do Eterno a diminuiu tornando-a uma Anã Vermelha? Ou ela teria sido transformada na nossa lua? E o outro mistério que permanece é: o que teria acontecido com seus habitantes (planetas)?


Adão & os Dois Sóis
Dr. Immanuël Velikovsky

A primeira catástrofe foi a expulsão do homem da terra abençoada do Éden, um mundo, planeta que ainda não conhecemos. Não foi um único par de seres humanos, a tradição atribui a Adão a invenção de 70 línguas distintas. Anterior a este evento, o hebraico era a única língua em toda a galáxia.

A Mitologia hebraica atribui ao período anterior à expulsão de Adão diferentes condições físicas e biológicas.

O sol brilhava permanentemente sobre esta terra e no Jardim do Éden, colocado no Oriente (Qédem - que é o nome bíblico da nossa galáxia), ele estava sob os raios permanentes do amanhecer, nunca era noite. A terra não havia sido regada pela chuva, mas a névoa estava subindo da terra e caindo como o orvalho sobre as folhas. As plantas apareciam apenas para a nutrição num mundo onde tudo era bio luminescente, tudo brilhava, incluindo Adão. O homem, Adão, era de estatura muito grande. As dimensões do corpo do homem eram gigantescas. Sua aparência era diferente da dos homens posteriores. O seu corpo era coberto com uma belíssima pele translúcida. Mas o homem não cumpriu os preceitos do seu Criador e um dia veio a pecar. Como consequência, o sol escureceu no instante em que Adão se tornou culpado de desobediência. As chamas da espada giratória o aterrorizaram. Em outra agadá conta-se que a luz celestial brilhou um pouco na escuridão e em seguida cessou, para a consternação de Adão, que temia que a serpente fosse atacá-lo no escuro. A iluminação do primeiro período nunca mais voltou.

Antecipando-se à perversidade das gerações pecaminosas do dilúvio e da Torre de Babel, que eram indignos de desfrutar a bênção da luz. Deus ocultou-se, mas no mundo vindouro Ele aparecerá ao piedoso em toda a sua glória primitiva.

O céu que o homem nunca viu aparecerá diante dele novamente. O firmamento não é o mesmo que os céus do primeiro dia.

A lua era maior antes, e de repente ficou menor, "porque ela falou mal do sol". A Lua, diz a aggada, tinha inveja e desejou ser mais brilhante que o sol. De acordo com outra lenda: A terra também teve de sofrer punição.

O significado disto é que, o nosso sol era uma estrela binária, como a maioria dos outros sistemas neste universo, que de acordo com o Zohar, foi criado pela letra hebraica Beit cujo valor numérico é dois. De acordo com a NASA, a Lua continua a encolher ainda hoje, como foi explicado acima.

Uma evidencia de que a Lua pode ter sido uma estrela, menor, é claro que o Sol, é que nela é encontrado o He3 (Hélio 3). O hélio-3, abreviado por He-3, às vezes chamado em inglês de tralphium é uma forma isotópica não-radioativa do hélio com dois prótons e um nêutron no núcleo atômico. Ele é muito raro na Terra e é procurado para atividades de pesquisas sobre fusão nuclear. Acredita-se que o gás exista em abundância na Lua incorporado na camada superior do regolito pela ação de ventos solares durante bilhões de anos e nos grandes planetas gasosos do Sistema Solar deixado lá durante a nebulosa solar original, embora ainda em baixa quantidade.

Se a lua é Meroz talvez seja esta a razão dos astrônomos não terem encontrado Nêmesis, por talvez ela não seja uma Anã Marron, mas a própria lua no seu estado degenerado.

De acordo com a aggada, por causa do pecado que o pôr do sol aconteceu pela primeira vez. A primeira vez que Adam testemunhou o ocaso do sol foi apreensivo e com temores ansiosos. Toda a noite ele passou em lágrimas. Quando o dia começou a amanhecer, ele entendeu que o que ele tinha feito, e lamentou a inversão da natureza.

Também percebeu, ao mesmo tempo, que os dias começaram a se tornarem mais curtos e repetentes. E isto é contada na seguinte história: Expulsos do Jardim do Éden, Adão e Eva sentaram-se em grande sofrimento, luto e lamentações. Adam percebeu que os dias foram ficando mais curtos e temia que em breve, o mundo se escurecesse por conta de seu pecado.


Continuará...





segunda-feira, 18 de março de 2013

Trigo & Joio: Os Filhos da Serpente


"E falou Caim com o seu irmão Abel: vamos ao campo. E sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou (Gênesis 4:8)".

"A mulher é o teu campo; vá então para o teu campo, e comece a cultivá-lo (Duna página 485)".

A Semente da Serpente

Rabi Judá disse que Caim se levantou contra Abel, e o matou porque ele herdou a sua natureza do lado de Samael (Lúcifer), que trouxe a morte no mundo. Ele estava com ciúmes de seu irmão por causa da mulher dele, como indicado pelas palavras: "E aconteceu que, quando eles estavam no "campo (hebraico "shadêh)", que significa "mulher" (Zohar parashat Bereshit)".

O Zohar revela que Caim era mesmo filho de Samael com Eva e que ele tinha a beleza dos Seres Angelicais, pois o seu pai era um Anjo. Existem evidencias disto não apenas no Zohar, mas também no Talmud e no Midrash e diversos livros escritos por antigos rabis.

A noção da Semente da Serpente aparece em um livro do 9º século chamado Pirkêi do rabino Eliezer. O rabino David Max Eichhorn, em seu livro Caim - O Filho da Serpente, traça o conceito de volta até o início de textos judaicos Midráshicos e identifica muitos rabinos que ensinaram que Caim era filho da união entre a serpente e Eva. Alguns rabinos cabalistas também acreditam que foram Caim e Abel de origem genética diferente de Seth. Isto é, entre os cabalistas é conhecido como "A Teoria das Origens". A teoria ensina que Deus criou dois "Adamim - Adãos (Adão significa homem/humanidade em hebraico)", tendo dado "alma" apenas para um e para o outro não. O que não possuiu alma é a criatura conhecida como a serpente. Este Adão sem alma tinha a aparência de um "SÍMIO". No hebraico bíblico o termo é Nachash (o que significa serpente). A gimatria de Nachash (נחש) é 358 e é a mesma de Mashiach (משיח) que significa Messias. Isso está registrado no Zohar:

"Dois seres (Adão e Serpente) tiveram relações com Eva, e ela concebeu e deu à luz de ambos a dois filhos. Seus espíritos se separaram, um para a esquerda e um para a direita, e da mesma forma os seus corpos. Do lado de Caim tem origem todas as espécie do mal, e do lado de Abel vem uma classe mais misericordiosa, ainda não totalmente benéfica (com defeito) - bom vinho misturado com mau (Zohar Bereshit)".


Em Gênesis capítulo 4, diz: "E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem (Gênesis 4:1)". O termo "conheceu" vem do hebraico "Yada" cujo significado é "Penetrar" e então "E penetrou Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Concebi um varão do Eterno". No texto original "Eterno" é o tetragrama, como pode ser visto no verso original abaixo:



וְהָאָדָם, יָדַע אֶת-חַוָּה אִשְׁתּוֹ; וַתַּהַר, וַתֵּלֶד אֶת-קַיִן, וַתֹּאמֶר, קָנִיתִי אִישׁ אֶת-יְהוָה


O Zohar revela que, o termo "Conheceu (Yada também significa "conhecer/saber")" foi aplicado porque, quando Eva veio a Adam ele soube que ela já havia mantido relações com a Serpente e que já estava grávida. Ele também a possuiu e gerou Abel, mas diferente de Seth que não possuiu mistura, Abel tinha parte da impureza da Serpente.



Eu já revelei aqui no Blog que, uma mulher pode manter relações com um homem e conceber de outro, Este segredo está no artigo "Segredos do Sêmen".



A Mulher é o Campo


Já expliquei que a palavra "Shadêh (Campo)" sempre alude à mulher, pois "shadêh" tem a mesma raiz de "Shad" que é "seio".

"Yeshu'a lhes propôs outra parábola: O reino dos céus é semelhante a um homem que semeou boa semente no seu campo. Mas enquanto os homens dormiam, veio um inimigo dele, semeou joio no meio do trigo e retirou-se. Porém quando a erva cresceu e deu fruto, então apareceu também o joio. Chegando os servos do dono do campo, disseram-lhe: Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? pois donde vem o joio? Respondeu-lhes: Homem inimigo é quem fez isso. Os servos continuaram: Queres, então, que vamos arrancá-lo? Não, respondeu ele, para que não suceda que, tirando o joio, arranqueis juntamente com ele também o trigo. Deixai crescer ambos juntos até a ceifa; e no tempo da ceifa direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio e atai-o em feixes para o queimar, mas recolhei o trigo no meu celeiro.» (Mateus 13:24-30)".

Tanto no texto aramaico como no hebraico, a palavra para "campo" é "shadêh (שדה)" e a palavra para semente é "Zerá (זרע)" que é literalmente "sêmen". Portanto a parábola do Joio e do Trigo alude às relações de Samael (o maligno) e Adão com a mesma mulher (Eva) que geraram os Gêmeos Caim e Abel (sheth).

Tanto Yeshu'a como Yochanan eram contra algumas correntes religiosas da época e chamavam seus membros e propagadores de "víboras" e "filhos da serpente" e porque?

"Serpentes! Raça de víboras! Como vocês escaparão da condenação ao inferno? (Mateus 23:33)". O verso em hebraico segue abaixo:


 נְחָשִׁים יַלְדֵי צִפְעוֹנִים אֵיךְ תִּמָּלְטוּ מִדִּין גֵּיהִנֹּם

Literalmente o verso diz: "Serpentes! Raça de víboras..." No hebraico diz "Nechashim (Plural de Nachash).

A razão desta oposição de Yeshu'a e Yochanan é revelada no Zohar no capítulo sobre a "multidão mista - A Érev Rav" a qual o Zohar revela serem a descendência da Serpente. O Zohar diz: "Eles constroem sinagogas e escolas rabínicas que contém o rolo da Torah com uma coroa no topo, mas fazem isto por amor e si mesmos e não por amor ao Criador".

A Érev Rav é composta de cinco tipos de almas distintas, que são os "Nefilim (caídos), os Giborim (Poderosos), os Anakim (Gigantes), os Refaim (Sombras) e Amaleq". Eles ocultam-se entre as religiões, porque a religião é uma criação da serpente. Isto não significa que TODOS os judeus, cristão, católicos, protestantes, muçulmanos sejam da linhagem genética da serpente, e é necessário se afastar deste que assim pensam e pregam assim, uma interpretação distorcida.


MACACOS


O Zohar revela: "E Adão conheceu sua mulher Eva, e ela concebeu e deu à luz a Caim". Junto com a energia de Adão que produziu Caim havia a que tinha sido deixado pelo elemento símio (A Serpente, o Adão sem alma). Assim, sobre o nascimento de Caim não é dito "E ela gerou ", mas "ela concebeu um filho". Bem, em Liricamente a letra hebraica kof de Caim também significa "macaco". Por causa do pecado de Adão, e mais especificamente após o pecado de Caim, o seu primeiro filho foi degenerado em "Macaco".

Darwin não estava totalmente errado, uma parte da humanidade emergiu realmente dos símios, da geração defeituosa criada pelo pecado de Adão e Caim. Mas o Zohar revela que, na Era Messiânica eles serão devolvidos à forma "Adâmica".


Conhecendo os Filhos da Serpente

Todos aqueles que pregam ódio gratuito, segregação e preconceito usando as escrituras sagradas como apoio para suas más ações, são os filhos de Samael (Lúcifer) através da serpente que manteve relações com Eva. Eles descendem de Caim.

Mas como estas almas que foram geradas através da relação incestuosa entre a Serpente e Eva, ascendem para habitar corpos na terra? Eis o segredo:

"Ai dos malfeitores que agem com insolência durante a relação sexual, porque sua prole puxará uma alma do lado da impureza da serpente - Zohar Parashat Qedoshim".

O que significa "agir com insolência" durante a relação sexual? Aqueles que negaram a Sabedoria Escondida da Torah, que não a estudam, que também negam os Preceitos da Torah Sagrada, como a observação e recepção da Shabat, são chamados insolentes. Então, eles terão filhos cujas almas são da linhagem da serpente. Isto explica porque jovens israelenses foram presos por praticar o Nazismo em Israel.



No entanto, todos que que pregam amor incondicional e misericórdia, são os filhos de Michael (o arcanjo) através de Adão que gerou Abel (Sheth).

Uns são os filhos das trevas (a multidão mista), os filhos da Serpente (Samael) e outros são os filhos da Luz.

Não há, no entanto, forma de reconhecê-los fisicamente, pois usam a mesma vestimenta (corpo). Unicamente o sábio pode reconhecê-los, como disse Yeshu'a (Jesus): "Pelo fruto os conhecereis...". E também: "A árvore é reconhecida pelo seu fruto (ações)". Porém, somente o agricultor pode reconhecer o plantio.

Portanto, todos os malignos sobre a terra, descendem de Samael, eles são o que são chamados hoje de "Reptilianos" pois são os Filhos da Serpente.

"Então o SENHOR Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente (; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar (Gênesis 3: 14 e 15)".

Aqui, vemos que há sobre a terra, duas linhagens genéticas distintas: As dos filhos da serpente, e as dos filhos da luz.

Todo aquele que se esforça para fazer o bem, fazer a paz (equilíbrio) entre os povos, pertence aos filhos da Luz, mas todo aquele que, sem esforço algum pratica o mal gratuitamente, pertence aos filhos das trevas.

Os Nazistas, por exemplo, não eram seres humanos, eles eram Amaleq. Hoje, alguns líderes "cristãos" em evidência, tem sido "desmascarados". D'us os colocou em evidências para que a verdadeira origem de suas almas sejam conhecidas. Eles são da linhagem da serpente.



Como eu escrevi acima que podem ser reconhecidos os filhos da serpente pelo ódio e segregação que disseminam.

O Código "EVANGELISTAS"

Os "EVANGELISTAS" foram e continuam sendo um "câncer" na humanidade, com sua "missão" de converter outros povos a "CRISTO", destruíram civilizações, tradições, povos. Eles são da linhagem da serpente, que visam converter por medo e a força outros ao seu "ninho materno".

Em inglês o termo "EVANGELISTS" é um anagrama para "EVIL AGENTS" cuja tradução é "AGENTES DO MAL".

Os Códigos Da Torah

Se os leitores e seguidores deste blog quiserem aprender mais sobre o "Tzafenot ha'Tana'k (Os Códigos da Biblia)", assistam o vídeo abaixo.


Em 1986 os códigos foram revelados ao mundo, eu tinha 20 anos. Logo, revistas populistas evangélicas trataram de apoderar-se das noticias sobre os códigos. Não muito tempo depois, percebendo que não tinham domínio da ciência dos códigos, começaram a rejeitá-lo como coisa do "diabo" e invenção. Mas os códigos são verdadeiros e são uma ferramenta para descobrirmos a verdade sobre tudo neste mundo.

Amaleq - As Origens do Nazismo

Para saber mais sobre este maravilhoso assunto, sobre a linhagem secreta da Serpente, adquira ao Livro "AMALEQ - AS ORIGENS OCULTAS DO NAZISMO.



Compre aqui o livro 'AMALEQ - As Origens Ocultas do Nazismo'



Nota explicativa: Apesar de Caim ser transliterado para o português com "m" no final, no original hebraico utiliza-se da letra hebraica "nun (ן)" que é o "n" tanto em português como no inglês.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Sírius: O Local do Jardim do Éden




Talmud Bavli 58b:

Rav Ashi disse: "Uma estrela foi removida de um lado da Constelação de Órion e uma estrela companheira apareceu do outro lado , e as pessoas ficaram perplexas e eu pensei que a estrela tinha atravessado para o outro lado".

O Local do Jardim do Éden

Onde fica o "Gan Éden (Jardim do Éden)" de onde a "Humanidade (Adão) foi deportada? Esta é a pergunta que se faz desde a antiguidade e a mim, me foi permitido penetrar a resposta.

A Estrela Sírius 

Os SISTEMAS SOLARES, também possuem um SOL CENTRAL e um ESPAÇO UTERINO receptor, onde estão os PLANETAS. O SOL do nosso sistema solar é a Estrela Divina Sirius, SIRIUS é o SOL do nosso SOL. O SOL do SOL da Terra. O Sol do nosso Sistema Solar, o Sol da nossa Galáxia. Sirius é o foco do Grande Sol Central em nosso setor da nossa galáxia.

O sistema Solar Sírius é chamado desde a antiguidade de "A Estrela do Messias (Kochav ha'Mashiach) e é o locar no universo onde os pensamentos são elevados, onde antes possuíamos o estado de "Messias" e é para lá que devemos retornar, para eles estado.

O MACROCOSMO gravita em torno do SOL CENTRAL da nossa Galáxia, SÍRIUS OU SÍRIO. Por SÍRIUS penetram as diretrizes da GRANDE LEI, do GRANDE SOL CENTRAL e passam pelo SOL DO NOSSO SISTEMA governados por HÉLIOS E VESTA até chegar a nosso planeta Terra e aos nossos corações.

Sírius é uma estrela tão grande e tão quente, que, desde os tempos antigos, quando os dias estão muito quentes aqui, nos expressamos isto com o dito popular "Está um calor do cão" ou "Esta quente para cachorro" que é aparentemente uma expressão sem fundamento, sem pé ou cabeça, se não fosse o seguinte:

Sírius é a principal estrela da Constelação de "Canis Majoris (Cão Maior)". Aqui a expressão "Está quente para cachorro" começa a fazer sentido e então, uma pergunta intrigante se apresenta: Se nunca estivemos ou residimos em Sírius, como poderíamos saber o calor que faz e expressar isto com este dito? A resposta é mais intrigante e surpreendente ainda: Sim, estivemos em Sírius, mas nossa memória foi apagada e o que expressão faz parte da nossa "memória genética".

A evidência está no Zohar que afirma que, assim que a Humanidade (Adão e Chavah) foram deportados do Jardim do Éden sua memória foi apagada e nem mais a Vós dos Céus (A Sabedoria) ela não pode mais reconhecer.

O "Sistema Regional de Sírius" evoluciona em torno de um sol central chamado Alcyone, estrela situada na constelação das Plêiades ou "Quadrante das Plêiades". O conjunto Sol-Sírius-Alcyone descreve uma órbita ao redor do centro da galáxia (Via Lactea) em direção da estrela de Sagitário. 

O Livro da Formação...

O Sefer Yetzirá de autoria do Patriarca Abraão nos informa codificadamente que, o nosso sistema solar migrou de um ponto muito mais alto no universo chamado "Etz ha'Chaiim (Árvore das Vidas). Assim, sabemos que o nosso Sol, mesmo que a astronomia e astrofísica neguem isto, migrou de um sistema Solar maior e mais alto. Para evidenciar que estrelas migram, eu citei o Talmud acima.

O Cinturão de Órion

Desde a antiguidade três belas estrelas nos chamam a atenção. Elas são conhecidas como as "Três Marias" e também pelo título código de "Os Três Reis Magos". Elas aponta diretamente para Sírius, e Sírius aponta diretamente para o nosso sol em Dezembro e Janeiro.

As Almas dos Messias...

As almas de todos os messias são centelhas da Gigante Azul Sírius. Uma grande evidencias disto, mesmo que a maioria dos religiosos dogmáticos a neguem, é Yeshu'a - Um dos Messias que era seguido e auxiliado pelas três Marias: Maria irmã de Lazarus, Maria de Magdala e Maria sua mãe e que foi visitado pelos "Três Reis Magos". Evidentemente trata-se de um código celeste e não de uma história física.

A Evidência Codificada na Torah...

Durante uma conversa mística com meu amado discípulo Avraham ben A'aron Kuk, todo este mistério me foi revelado. Para que não houvesse nenhuma duvida, resolvi procurar a evidência dentro das letras Sagradas da Torah, e lá estava este surpreendente código, onde o termo central é "Sirius (סיריוס)" e logo abaixo deste termo central está "Kelev Gadol (כלב גדול,) - Alfa Canis Majoris", mas o que me surpreendeu foi o que li acima de Sírius:

"E tomou o Eterno Deus, a Adão (Humanidade) e o colocou no Jardim do Éden, para o cultivar e guardar ( וַיִּקַּח יְהוָה אֱלֹהִים, אֶת-הָאָדָם; וַיַּנִּחֵהוּ בְגַן-עֵדֶן, לְעָבְדָהּ וּלְשָׁמְרָהּ)" - Gênesis 2:15.



Ao lado deste verso o termo hebraico para "Gravidade" desce na vertical ligando-se a Sírius e aludindo que o Éden orbita a estrela Sirius... Veja o código abaixo.

Ursa, Órion e as Plêiades

Duas estrelas migraram das Plêiades para a Ursa Maior, e Talmud explica que isto foi feito para que o dilúvio tivesse inicio, mas que no tempo da correção, as "Filhas das Plêiades" lhe serão devolvidas. Agora sabemos porque D'us perguntou a Yov (Jó): Quem fez a Ursa, Órion e as Plêiades? (Jó 9:9).

SIRIUS E OS DOGONS

Dogon é um povo que habita o Mali e o Burkina Faso. Os dogons do Mali são um povo que vive em uma remota região no interior da África Ocidental - são cerca de 200 mil e a sua maioria vive em aldeias penduradas nas escarpas de Bandiagara, ao leste do Rio Níger. Ainda não podem ser qualificados como "primitivos", pois possuem um estilo de vida muito complexo, e não são excelentes candidatos a possuir conhecimentos científicos. Contudo, possuem um conhecimento muito preciso do sistema estelar de Sirius[1] (incluindo pelo menos uma estrela que ainda não foi identificada pelos astrônomos) e dos seus períodos orbitais. Os sacerdotes dogons dizem que sabem desses detalhes, que aparentemente são transmitidos oralmente e de forma secreta, séculos antes dos astrônomos.

Esses conhecimentos foram publicados pela primeira vez em 1950, no "A Sudanese Sirius System", escrito pelos antropólogos franceses Germaine Dieterlen e Marcel Griaule, que viveram muito tempo com os dogons no final dos anos 1940. Os dois cientistas ganharam a confiança dos sacerdotes até o ponto deles lhe confiarem esses notáveis conhecimentos, muito ligados às suas crenças religiosas.

A origem da vida

Para os dogons, toda a criação está vinculada à estrelas que eles chamam de Po Tolo, que significa "estrela semente". Esse nome vem da minúscula semente chamada de "fonio", que em botânica é conhecida como Digitaria exilis. Com a diminuta semente, os dogons referem-se ao inicio de todas as coisas. Segundo os dogons, a criação começou nessa estrela, qualificada pela astronomia como anã branca, e que os astrônomos modernos chamam de Sirius B, a companheira muito menor da brilhante Sirius A, da constelação Cão Maior.

Os dogons sabem que a Po Tolo tem uma enorme densidade, totalmente desproporcional ao seu reduzido tamanho e acreditam que isso deve-se à presença do sagala, um metal extremamente duro e desconhecido na Terra. Continuam descrevendo que as órbitas compartilhadas da Sirius A e da Sirius B formam uma elipse, com a Sirius A localizada em um dos seus focos.

Os dogons também dizem que a Sirius B demora 50 anos para completar uma órbita em volta da Sirius A, a astronomia moderna estabeleceu que o seu período orbital é de 50,4 anos. Igualmente intrigante é a sua afirmação de que a Sirius B gira em torno do seu próprio eixo e demora um ano terrestre para terminar este movimento. Alguns astrônomos afirmam que isso é possível, enquanto outros discordam dizendo que esse período de rotação é muito longo para uma estrela tão pequena e densa.

Mas, o que é realmente assustador é o conhecimento que dizem ter sobre o terceiro astro do sistema Sirius, descoberto apenas recentemente pelos astrônomos, já que possui um tamanho irrelevante perto dos dois outros astros do sistema, e por isso levou quase meio século para ser descoberto. Os Dogons chamam este terceiro corpo de Emme Ya, ou "Mulher Sorgo" (um cereal) e dizem que é uma estrela pequena com apenas um planeta em sua órbita, ou um grande planeta com um grande satélite. Os modernos intérpretes dessa tradição chamam esta estrela de Sirius C.

A conclusão de que a informação recebida por Dieterlen e Griaule era conhecida pelos dogons há milhares de anos, e é aceita pelo membro da Royal Astronomical Society, Robert Temple, uma vez que há provas a favor de tal afirmação. Contudo, há um grupo de críticos que não concordam com essa informação. Entre este grupo de cético, estão Carl Sagan, Ian Ridpath, James Oberg e Ronald Story. Segundo eles, os exploradores da Europa e dos Estados Unidos encontraram os dogons há 150 anos e forneceram-lhes informações sobre Sirius, que logo foi incorporada à sua cosmologia.

Contudo, em uma entrevista ao programa Horizon da BBC, Germaine Dieterlen não concordou com esse ponto de vista e, para prová-lo, mostrou um esquema feito pelos dogons do sistema Sirius de 500 anos de idade. Além disso, outros pesquisadores argumentam que muitos dos astrônomos dos dogons não eram conhecidos no Ocidente até o século XX.

As migrações gregas

Os pesquisadores afirmam que os conhecimentos sobre o sistema Sirius dos dogons possuem milhares de anos, e tem a seu favor as provas históricas. Supõe-se que os dogons são remotos descendentes dos gregos que colonizaram a parte da África que atualmente constitui a Líbia. Heródoto os chama de Garamantianos, de Garamas, o folho de Gaia, a deusa grega da terra. Os elementos da tradição grega são muito parecidos à preocupação dos dogons com os números. Além disso, durante a sua permanência na Líbia, aqueles gregos expatriados poderiam ter adquirido alguns conhecimentos dos seus vizinhos, os antigos egípcios.

Séculos de lenta emigração para o sul levaram os dogons ao Rio Níger, onde se estabeleceram e se misturaram com os habitantes negros locais. Segundo Robert Graves, os últimos restos dessa errante tribo estão agora em uma aldeia chamada Koromantse, também chamada Korienze, a 75 km de Bandiagara.

Visitantes Anfíbios

Para alguns[quem?], isso constitui uma prova irrefutável da antiguidade dos conhecimentos astronômicos dos dogons. Mas a forma como os adquiriram continuam sem respostas. Como um povo que não dispunha de instrumentos óticos poderia conhecer os movimentos e as características da estrela mais brilhante, da sua companheira pouco visível e de um terceiro astro do qual ainda não existem provas cientificas de sua existência?

Os dogons explicam os seus conhecimentos astronômicos do sistema Sirius de uma forma muito simples: seus antepassados os adquiriram de visitantes anfíbios extraterrestres, chamados por eles de "nommos", provenientes da estrela Po Tolo (Sirius B). As descrições feitas pelos dogons são muito precisas.

Contam que os nommos chegaram pela primeira vez do sistema Sirius em uma nave espacial que girava em grande velocidade quando descia e que fazia um barulho tão forte quanto o rugido do vento. Também dizem que esta máquina voadora rebateu ao aterrissar como se fosse uma pedra pela superfície da água, semeando a terra com "jorros de sangue". Alguns estudiosos[quem?] dizem que "jorros de sangue" na língua dogon é semelhante a "escape de foguete", o empuxo invertido usado nos veículos espaciais. Os dogons também falam que pode ser interpretada como "nave mãe" colocada em órbita. Isso não é tão estranho quanto parece: A Apollo 11 ficou em órbita lunar enquanto o módulo descia para fazer a primeira alunissagem em julho de 1969.

Tudo isso parece ridículo se não fosse pelo paralelismo com as civilizações que apareceram na época das migrações dos antepassados dos dogons. As representações artísticas dos nommos na forma de réptil assemelham-se ao semideus babilônico Oannes, com rabo de peixe, aos anfíbios dos acadianos conhecidos como Ea, e à representação na arte primitiva egípcia de Ísis em forma de sereia. Todos esses personagens foram, para seus respectivos adoradores, os pais das suas civilizações.

Os seus vínculos com as antigas civilizações do Oriente Médio dependem da aceitação da teoria que diz que seus antepassados teriam viajado até o sul, enquanto a afirmação de que os extraterrestres descreveram-lhes o sistema estelar.

Correspondentes egípcios

A Sirius A era conhecida pelos antigos egípcios como Sothis. Seu ano começava como os "dias do Cão", quando a Sirius, a estrela da constelação Cão Maior, surgia atrás do Sol, por volta do dia 23 de julho. Aparentemente também conheciam a Sirius B porque, nas suas tradições religiosas, a deusa Ísis era símbolo da Sirius A e Osíris, seu consorte, era associado à sua escura companheira.

Os antigos rituais vinculam Ísis a Sirius. A câmara do ano novo do templo de Dendera foi construída de forma que a luz da Sirius seja canalizada por um corredor até o interior da câmara.

Isso é um antecedente da cerimônia Sigui que os dogons celebram quando a Sirius pode ser vista pela fresta de uma rocha da aldeia de Yougo Dogorou. Devido ao fato de Osíris ser adorado como o senhor da vida após a morte e as lendas dos antigos egípcios falarem de almas, que voavam a uma mansão imortal junto aos deuses, é possível que considerassem que essa mansão estivesse localizada na Sirius B.

Répteis humanos

Os dogons acreditam que deuses (nommos) vieram de um planeta do sistema Sirius, há 5 ou 6 mil anos. Na linguagem dogons, Nommos significa "associado à água" ; "bebendo o essencial". Segundo as lendas, os anfíbios Nommos viviam na água e os Dogons referem-se a eles como "senhores da água". A arte dogon, sempre mostra os Nommos parte humanos, parte répteis. Lembram o semideus anfíbio Oannes dos relatos babilônicos e o seu equivalente sumério Enki. Os textos religiosos de muitos povos antigos referem-se aos pais de suas civilizações com seres procedentes de algum lugar diferente da Terra. Coletivamente, isso é interpretado por algumas pessoas como a prova da existência de vida extraterrestre que estabeleceu contato com o nosso planeta em um passado distante.

FONTE: WIKIPÉDIA

A GEMATRIA DE SÍRIUS

A gematria hebraica de Sírius, devidamente transliterado para o hebreu (סיריוס) é 346 e possui alguns segredos que evidenciam nossa teoria: 346 é o mesmo valor do termo "Be'Pardes (בפרדס)" cujo significado é "No Paraíso". É também a gematria de "Karma (קארמה)" e também de "B'ney Pered (בני פרד)" que pode ser entendido como "Filhos da Incompreensão (o termo Pered é mula no hebraico)". A alusão aqui é que, caímos de um padrão de consciência elevado, messiânico, e como consequência, derrubamos todo o sistema para um lugar mais baixo no universo a fim de sofrermos a correção, o karma.

Todo este mistério está publicado no meu livro "B'ney Kochavim - Os Filhos das Estrelas" o qual estou canalizando. Aguardem...

Artesão da Luz