quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Betel & luz - A Cidade Invisível Interdimensional

A Morada De Deus

“E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus. E chamou o nome daquele lugar Bet-Ël, porém havia sido Luz o nome da cidade, no principio”.
Gênesis 28:17 e 19

Orion é uma constelação do equador celeste. As estrelas que compõem esta constelação podem ter como elemento do seu nome o genitivo "Orionis".

É reconhecida em todo o mundo, por incluir estrelas brilhantes e visíveis de ambos os hemisférios.

A constelação tem a forma de um trapézio formado por quatro estrelas: Betelgeuse (Alpha Orionis) de magnitude aparente 0,50, Rigel (Beta Orionis) de magnitude aparente 0,12, Bellatrix (Gamma Orionis) de magnitude aparente 1,64 e Saiph (Kappa Orionis) de magnitude aparente 2.06.

É uma constelação fácil de ser enxergada pois, dentre as estrelas que a compõem, destaca-se a presença de três, Mintaka (Delta Orionis) de magnitude aparente 2,23, Alnilam (Epsilon Orionis) de magnitude aparente 1,70 e Alnitak (Zeta Orionis) de magnitude aparente 2,03, popularmente conhecidas como "As Três Marias", que formam o cinturão de Órion e estão localizadas no centro da constelação.

Nesta constelação também encontra-se uma das raras nebulosas que podem ser vistas a olho nu, a Nebulosa de Órion que é uma região de intensa formação de estrelas.
As constelações vizinhas são Gemini (Gêmeos), Taurus (Touro), Eridanus, Lepus (Lebre) e Monoceros (Unicórnio).

A principal estrela de Órion (α Orionis) conhecida como Betelgeuse é uma estrela de brilho variável sendo a 10ª ou 12ª estrela mais brilhante no firmamento. É também a segunda estrela mais brilhante na constelação de Orion. Apesar de ter a designação α ("alpha") na Classificação de Bayer, ela não é mais brilhante que Rigel (β Orionis).

Acredita-se que o seu nome é uma contração do árabe يد الجوزا yad al-jawzā, ou "a mão do (guerreiro, homem) do centro". Jauza, o do centro, inicialmente se referia a Gémeos entre os Árabes, mas a algum momento decidiram referir-se a Orion por este nome. Durante a Idade Média o primeiro caracter do nome y (ﻴ, com dois pontos sob ele), foi erroneamente traduzido para o Latim como um b (ﺒ, com um ponto apenas), e Yad al-Jauza tornou-se Bedalgeuze. Então, durante o Renascimento, alguém tentou derivar o nome árabe deste nome corrompido, e decidiu que ele foi escrito originalmente como Bait al-Jauza. Esta pessoa imaginativa então declarou que Bait seria "braço" em Árabe, para surpresa dos árabes em todo o mundo. Um linguista sem nome da Renascença então "corrigiu" a grafia para Betelgeuse, e o termo moderno nasceu. Para que Betelgeuse tivesse o sentido do "braço do centro", o original deveria ser ابط Ibţ (al-Jauza).

Mas o que é Betelgeuse? O nome é na verdade “Bet-Ël Geuse” cujo o significado é “O Centro da Casa de Ël (Deus)”.

Betelgeuse é na verdade o Portão de entrada para a Casa de Deus, o Criador, pois é um berçário estelar, uma fabrica de estrelas e é ali que Deus mora, conforme o sentido literal do texto do Gênesis, mas há outros profundos mistérios.

A matriz acima é a do capítulo 28 do Gênesis e dentro deste texto eu encontrei “Kassil” que é o nome hebreu de Órion codificado e que é cruzado pelo verso 16 que diz “Acordando, pois, Jacó do seu sono, disse: Na verdade o Senhor está neste lugar; e eu não o sabia”.

A Cidade Invisível

"Ele construiu uma cidade e lhe chamou Luz; que é o seu nome até o dia de hoje” 

Juízes, 1, 26

Luz (לוז) é o local bíblico de sonho angelical de Jacob, como mencionado acima, e é também conhecida como a Casa de Deus ea Porta para o céu. Luz é uma cidade impenetrável na antiga terra de Israel, que só pode ser acessada através de uma caverna secreta escondida por uma árvore de avelã. Além disso, é-nos dito que, depois que foi conquistada, outra cidade também chamada Luz foi construída em outro país oriental, uma virtual "Shangri-la", onde a morte não existe e só a verdade pode ser dita.

É tão certo que a entrada desta cidade inter-dimensional é secreta e que não pode ser vista a olhos nus e por qualquer um, que alguns versos no Livro de Shofetim (Juízes), nos dizem: E a casa de José mandou espias a Betel, e foi antes o nome desta cidade Luz. E viram os espias a um homem, que saía da cidade, e lhe disseram: Ora, mostra-nos a entrada da cidade, e usaremos contigo de misericórdia (Juízes 1:23-24)”.

Há um profundo enigma aqui que deixa claro que a cidade é invível aos olhos, porque os espias, que eram dotados de habilidades místicas entre as quais incluía-se levitação e invisibilidade, viram um homem sair dela, mas eles não viram a cidade a ponto de captura-lo e “motivá-lo” a monstrar-lhe a entrada secreta para cidade.

“E, mostrando-lhes ele a entrada da cidade, feriram-na ao fio da espada; porém àquele homem e a toda a sua família deixaram ir”.

Juízes 1:26 

Estaria esta cidade inter-dimensional situada neste mundo, acima dele ou dentro da Constalação de Órion?

PASSAGEM PARA ORION?

Um universo paralelo é uma hipotética realidade separada que coexiste com a nossa própria realidade. Um grupo específico de universos paralelos é chamado um "multiverso", embora este termo também pode ser utilizado para descrever os possíveis universos paralelos que constituem a realidade. Embora os termos "universo paralelo" e "realidade alternativa" são geralmente sinônimos e possam ser intercambiáveis na maioria dos casos, há por vezes uma conotação implícita adicional com o termo "realidade alternativa" que implica que a realidade é uma variante do nosso próprio. O termo "universo paralelo" é mais genérico, sem quaisquer conotações que impliquem uma relação, ou falta de relacionamento, com o nosso próprio universo. Um universo onde as próprias leis da natureza são diferentes - por exemplo, aquele em que não há leis de movimento - seria na contagem geral, como um universo paralelo, mas não uma realidade alternativa. 

A hipótese da mecânica quântica real de universos paralelos é "universos que são separados uns das outras por um único evento quântico.

Seria a Cidade de Luz uma realidade alternativa ou um outro universo escondido na Constelação de Órion. O texto bíblico deixa claro que a cidade era invisível aos olhos e que pessoas ao saírem dela, tornavam-se visíveis.

Dentro do texto hebraico de Juízes temos codificado a ocorrência do nome hebreu de Órion (Cassil) duas vezes.

Este mistério profundo aqui revelado me fez recordar o filme A Múmia, no qual a cidade de Hamunaptra é invisível aos olhos e só pode ser vista pelos que sabiam o segredo.

Esta claro agora que, dentro da Sabedoria Escondida da Torah há mistérios praticamente insondáveis e de aterrorizar a alma e por esta razão foram escondidos.



Compre aqui o livro 'Os Filhos Das Estrelas'

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Advertência Secreta Da QABALAH No Filme Noé

Noé & Matusalém & a Árvore das Vidas
"Arte conceitual do Diretor Darren Aronofsky para o Filme Noé"

Lemos: "E Adão conheceu sua mulher Eva, e ela concebeu e deu à luz Caim (Gênesis 4:1). Junto com a energia de Adão que concebeu Caim estava a energia deixada pelo elemento de símio com quem a mulher havia copulado primeiro. Caim foi concebido do lado feminino (esquerda da Árvore das Vidas, da energia de Severidade). Assim, sobre o nascimento de Caim não se diz: “E ele Gerou...”, mas ela concebeu um filho...”. Pela mesma razão sobre Abel se diz: “E em seguida, ela concebeu seu irmão Abel” e que, apesar de ter sido concebido lado masculino (direita da Árvore das Vidas, da energia de Bondade), o acusador havia enfraquecido o poder e a energia de Adão.

Bem, em relação à letra Qof de Caim (Qain): Caim também significa macaco, porque a letra Qof significa macaco. As letras começaram a produzir. Assim que a impureza foi removida, a letra Shin (de Shet) começou a operar, a união do macho com a fêmea e por isso ele diz: “E ele gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e ele nomeou-o Shet (Gênesis 5:3). Então, as letras se inverteram combinando com o aleph de Adão a letra Nun que segue a última de seu nome, o Mem e ambas foram combinadas com a primeira letra de Schet, o Shin para formar o nome Enosh (Gênesis 5:6). Qual é a diferença entre Enosh (Homem) e Adam que também significa Homem? Enosh tem origem na palavra anash significa estar doente e indica que não há a mesma força de Adão, e sobre o qual está escrito: “Que é o homem (Enosh) para que Tu o magnifique? (Jó 7:17)”.

A Advertência
O estudo da Sabedoria por aqueles que possuem defeito de consciência

“E a Sete também nasceu um filho; e chamou o seu nome Enos (Enosh); então se começou a invocar o Nome de Adonai (Gênesis 4:26)”.

R. Eleazar disse: Nos tempos de Enosh, os homens foram treinados em magia e adivinhação, e a arte de controlar as forças celestiais. Adão trouxe do Jardim do Éden com ele o conhecimento das “folhas de árvores”, mas ele e sua esposa e filhos não as praticavam. Mas quando Enosh veio viu a vantagem deste conhecimento e destas artes e como os cursos celestes poderiam ser alterados por eles, e ele e seus contemporâneos estudaram e praticaram magia e adivinhação e deles passou para a geração do Dilúvio e foram usados para o mal propósito por todos os homens (nashim) daquele tempo.

“NASHIM TEM RAIZ NA PALAVRA ANASH QUE SIGNIFICA “ESTAR DOENTE”. NASHIM É GERALMENTE TRADUZIDO COMO “MULHERES” PORQUE TODA MAGINA E ADVINHAÇÃO ENAMA DO PRINCIPIO FEMININO”.

Baseando-se nessas artes, eles desafiaram a Noé, dizendo que sobre eles nunca a Justiça Divina poderia ser executada porque eles sabiam todas as maneiras de evitá-la. Eles conheciam os Selos Angelicais e os Nomes Divinos e os usaram para evitar o Julgamento Divino. A prática destas artes começou com Enosh, e por isso ele diz do seu tempo: “Então começou a invocar o Nome de Adonai”. Eles fizeram isto de forma profana, usando o conhecimento e os Nomes divinos para os seus próprios propósitos egoístas.

“SEMELHANTEMENTE NÓS VEMOS ISTO NESTA ÉPOCA, ONDE AS PESSOAS (ENASHIM) QUEREM APRENDER A SABEDORIA CELESTIAL PARA USÁ-LA PARA PROPOSITOS PROFANOS, COM FINS DE ENRIQUECEREM, ADQUIRIREM PROSPERIDADE E BENS MATERIAIS”.

Por isto tenho tomado cuidado para com os que me procuram querendo aprender a Sabedoria, cuidado em investigar suas mentalidades e corações para conhecer os propósitos de porque querem aprender a Sabedoria Celeste, pois é preciso ter “Lév Tahór (Coração Puro)” sem o qual, ninguém poderá aprender a Sabedoria Celeste.

Assim aprendemos que, até que o defeito seja corrigido pela aceitação e amor à Instrução Divina (Torah) a pessoa (Enos) não pode ser introduzida nos Caminhos da Sabedoria Celestial. É preciso que ela primeiro se torne Adam.

O Filme Noach e Enosh

Recentemente nós vimos esta poderosa mensagem no filme de Darren Aronofsky “Noach”. No filme, quando Lamech está passando a Tradição da Sabedoria para Noé, ele nota quando os “Anoshim” se aproximam e diz “Homens (Anoshim)”. Na historia os Homens são os mineradores da Pedra Tzohar que é uma alusão ao Zôhar Sagrado e a Sabedoria da QABALAH. Assim, Tubal-Cain mata o pai de Noé, Lamech, toma a pele da Serpente que é uma alusão à busca pela iluminação.

"Cena do Filme onde vemos a Pedra Tzohar e as Serpentes e Répteis juntos, uma alusão a busca pela "Iluminação"".

Tudo isto no filme é uma alusão secreta de como a Sabedoria pode ser mal usada por pessoas com defeito de consciência, eles sempre a usarão para propósitos sem qualquer altruísmo, para fins próprios de enaltecimento do próprio ego, como vemos também na história bíblica da Torre de Babel: “E eles disseram: Vamos! Construamos uma Torre e façamos para nós “NOME”. O verso indica que eles usaram a Sabedoria para enaltecer o próprio poder do Ego.

Assim também é o aluno que não obedece ao professor que o adverte dizendo que ele ainda não pode ensinar, mas teimosamente ele desobedece e passa a ensinar o que não compreendeu defeituosamente criando mais defeito ainda. Devo advertir aqui o que o Zôhar fala sobre a teimosia e que ela vem de Amaleq cujo o pai é o Anjo Caído Samael.

Eu passei a compartilhar a Sabedoria Divina porque recebi a benção do meu Mestre que veio do Jardim do Éden para me revelar um mistério em Lag ba’Ômer de 2003 (33 do Ômer de 5763).

Assim, o aluno que não recebeu a benção do seu Professor e nem autorização para ensinar e teimosamente o faz, está criando defeito, maldade no mundo.

Desta forma aprendemos que, uma pessoa (Anosh) com defeito de consciência não deve aprender a Sabedoria Divina, pois se o fizer, a usará com propósitos errados e para benefício próprio.